Home » Vacinas proibidas, IPE Saúde, vandalismos, 1° de Maio e poupar jogadores

Vacinas proibidas, IPE Saúde, vandalismos, 1° de Maio e poupar jogadores

por Correio do Povo
vacinas-proibidas,-ipe-saude,-vandalismos,-1°-de-maio-e-poupar-jogadores

Leitores do Correio do Povo opinam sobre o conteúdo publicado pelo jornal na edição impressa e plataformas digitais Vacinas proibidas Muito intrigante a manchete da edição de sábado (CP, 30/3) que denuncia a falta de envio de vacinas contra a dengue ao RS, embora o Estado já tenha contabilizado 47 óbitos e mais de 36 mil casos da doença. O Ministério da Saúde alega “critérios técnicos” para esta falta injustificável, mas parece que está prevalecendo o critério eleitoral, caso nos reportarmos ao resultado da última eleição presidencial aqui no Sul, como, ao que tudo indica, o ministério está fazendo. Pobre RS, assolado pelo clima e pelas autoridades. Sérgio Becker, Porto Alegre, via e-mail IPE Saúde Não precisa ser especialista em finanças para chegar à conclusão de que o problema do IPE Saúde é basicamente o congelamento salarial imposto aos servidores públicos estaduais por 10 anos, pois, de forma automática, as contribuições ao plano de saúde também permanecem congeladas, sendo estas a fonte de receita do IPE. Hermes Buffon, Casca, via e-mail Vandalismos “Totens de segurança em Porto Alegre: impressões e funcionalidade.” Importante verificar a funcionalidade, pois há relatos de vandalismos nos mesmos totens. Carlos Fussiger Luz, Porto Alegre, via Instagram 1° de Maio Em razão do adiamento dos decretos do governador do Estado, previstos para viger a partir de 1° de abril para 1° de maio, continuam pendendo como a “Espada de Dâmocles” que descerá sobre as nossas cabeças no Dia do Trabalho, pois aumentam e instituem alíquotas do ICMS sobre produtos da cesta básica, onerando novamente a sociedade gaúcha, além de servir como moeda de troca para impor o aumento no modal do ICMS dos atuais 17% para 19%, em 2025. Impõe-se ao povo gaúcho uma inflação que se soma à oficial e juntas vão corroer ainda mais o poder de compra das famílias e reduzir o consumo geral. Seremos duplamente penalizados neste e no próximo ano fiscal. José Carlos Morsch, Porto Alegre, via e-mail Poupar jogadores Não consigo entender mais de futebol. Os times já estão jogando uma bolinha e ainda poupam jogadores em começo de temporada. Depois, querem mais sócios e correm para vender jogadores para sobreviver. Times com os elencos que têm a dupla não precisam poupar nada. Tem é que pôr o melhor time em campo. Mario A. Pizzutti, Porto Alegre, via e-mail

você pode gostar