A banda Rolling Stones decidiu manter a turnê “No Filter”, que tem programação para começar em setembro, mesmo após a morte do lendário baterista Charlie Watts, que ocorreu na última semana.

O jornal “The Sun” informou que os membros remanescentes do grupo prosseguirão com os planos como forma de homenagear o músico, que morreu em um hospital de Londres cerca de 20 dias após passar por um procedimento médico não especificado, que já o havia tirado da turnê.

“A banda quer fazer do show uma celebração de sua vida. Watts era como um irmão para eles, e eles sabem que ele odiaria a ideia do cancelamento de agenda. Charlie deu a eles sua bênção para viajar sem ele após a operação, então os músicos honrarão seus desejos”, disse um informante, que tem proximidade com o staff da banda, para o jornal britânico.

A primeira apresentação da turnê “No Filter” está marcada para o dia 26 de setembro, em St. Loius, no Missouri. Mick Jagger, Keith Richards e Ronnie Wood estarão no palco com o baterista Steve Jordan, baterista do projeto paralelo de Keith, X-Pensive Winos.

Morte de Charlie

Charlie Watts, de 80 anos, não era membro fundador dos Stones como Mick Jagger e Keith Richards, mas participou de todos os álbuns de estúdio do grupo. Em 2004, Charlie Watts fez o tratamento para um câncer de garganta.

O anúncio da morte foi feito por seu assessor. “É com imensa tristeza que anunciamos a morte do nosso amado Charlie Watts. Ele faleceu de forma serena hoje mais cedo num hospital em Londres, cercado por sua família”, diz o comunicado de seu assessor divulgado nas redes sociais da banda.

“Charlie foi um marido, pai e avô querido e também um membro dos Rolling Stones, um dos maiores bateristas de sua geração. Gentilmente pedimos que a privacidade de sua família, colegas de banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil.”