A Mattel, companhia estadunidense de brinquedos, homenageará a biomédica baiana, Jaqueline Góes de Jesus, que ajudou a sequenciar DNA do coronavirus. 

A jovem cientista baiana, de 31 anos, natural de Salvador, é graduada em biomedicina pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, mestre em biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa (PgBSMI) pelo Instituto de Pesquisas Gonçalo Moniz — Fundação Oswaldo Cruz (IGM-FIOCRUZ) e Doutora em Patologia Humana pela Universidade Federal da Bahia em associação com o IGM-FIOCRUZ.

A equipe da biomédica trabalhou sob coordenação da imunologista Ester Cerdeira Sabino. O sequenciamento genético do SARS-CoV-2 foi feito em 48 horas após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Brasil. A média mundial de duração desse processo é de 15 dias. Além desta descoberta, Jaqueline já havia participado da equipe que rastreou a sequência genética do zica.

A coleção faz parte da série “Mulheres Inspiradoras”, que a Mattel vem trabalhando desde 2018 para apresentar mulheres com atuações importantes em diferentes setores da sociedade. Frida Kahlo, Amelia Earhart e Maya Angelou foram algumas das mulheres já homenageadas pela linha. Serão 16 bonecas inspiradas em profissionais que atuaram de forma decisiva para combater o novo coronavirus.

 

A Mattel ainda não divulgou informações sobre vendas. Resta saber se o valor de venda vai caber no bolso dos pais.

Além de ser um orgulho para a ciência, passa a ser também um papel educativo, no que tange a representatividade racial, pois meninas negras vão, finalmente, se enxergar naquela quê, historicamente, apresentou apenas um tipo de perfil de beleza.