Por ser escritor e pertencer a algumas academias de letras espalhadas pelo país, me vejo na obrigação de me colocar como um lutador pela cultura no município, já que ela é rara e passa longe do que seria desejável. Nesta gestão atual a Secretaria de Esportes Cultura e Lazer está incrementando alguns projetos interessantes que já há muito tempo faziam parte de nossos rogos para ativar um movimento cultural em Dias d’Ávila.


Constantemente afirmo que a criação de uma Casa da Cultura ou uma Coordenação de Cultura, com essas ou outras denominações que  representem um projeto que cubra esta finalidade, tem por objetivo dotar a cidade de uma estrutura cultural capaz de oferecer várias opções à população nos diversos campos do conhecimento, saber, costumes, hábitos, envolvendo os participantes e oferecendo à cidade espaços em vários segmentos culturais, tais como: música, artes cênicas, artes plásticas, literatura, shows, cursos, palestras, oficinas, cinema, esporte, meio ambiente, social, técnicas diversas, entre outras formas de expressão.


O maior escopo que fortalece essa sugestão é, justamente, oferecer à população opções culturais, por exemplo, cursos diversos para incentivo ao trabalho, aprimoramento profissional e promover eventos principalmente com crianças e jovens, como gincanas, torneios esportivos, apresentações marciais e tudo que se pode oferecer para afastar o adolescente das influências danosas do vício e da marginalidade. Uma Casa da Cultura ainda prevê a implantação de ambientes culturais como bibliotecas, museus, conferências, palestras... todos realizados em espaços públicos com acesso franqueado às pessoas que procurem o conhecimento sob todos os aspectos.


Um povo que não cuida de suas tradições e de sua história não tem memória e corre o risco iminente de, dentro de um curto espaço de tempo, esquecer seus hábitos, convenções, procedimentos, práticas, leis, usos e costumes. Não podemos deixar de tomar imediatamente as providências cabíveis para não carregar, no futuro, a culpa da omissão. A cultura compreende os comportamentos, tradições e conhecimentos de um grupo social ou mesmo de um povo, incluindo a língua as comidas típicas, a música, as artes, as vestimentas entre os aspectos mais marcante de sua dimensão global.


Mesmo dentro de uma mesma sociedade podem existir divergências culturais. O livre-arbítrio mostra que grupos, ou pessoas, podem ter fortes e diferentes valores baseados em crenças religiosas ou numa lógica que priorize o progresso científico para compreender o mundo. A diversidade cultural é um fato em nossa realidade globalizada, onde o contato entre o que consideramos familiar e o que consideramos estranho, é comum. Portanto é fundamental que um órgão de cultura municipal reúna todos os segmentos sociais, étnicos, religiosos ou outros grupos definidos e se constitua determinante para todos.


Por esses motivos considero a cultura como uma das mais importantes ferramentas para agrupar pessoas dentro de um sentido comum. Anseio, sinceramente que o município de Dias d’Ávila, em algum momento de sua existência, pois já se passaram 37 anos desde que obteve a sua emancipação política e administrativa, crie algo nesse sentido e olhe com um carinho especial e novo para essa atividade que foi tão abandonada pelas administrações anteriores.
Não faço questão da autoria desse projeto: só espero que, algum Filho de Deus consiga que as autoridades o olhem com interesse e se disponham a lutar pela sua realização.
Espero ter contribuído com o relato que agora apresento; tentei dessa forma sanar algumas dúvidas e esclarecer outros fatos... coloco-me à inteira disposição de qualquer pessoa para esclarecimentos maiores, desde que sejam motivados por um sentimento nobre e profícuo.

 

Professor Gimeno