Na manhã desta quinta-feira (24), a Polícia Federal, por meio da Operação Tarja Preta, cumpre 35 mandados de prisão preventiva e outros 46 mandados de busca e apreensão em casas e presídios em seis estados. São eles: Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e Santa Catarina.

Em Salvador, dois homens foram detidos. Eles já estavam em uma unidade prisional, mas continuavam comandando uma facção criminosa. Agora, serão transferidos para um presídio federal.

Também na capital baiana, equipes da PF fizeram buscas em um flat de luxo no Jardim de Alah, na orla. Os agentes deixaram o local com dois malotes apreendidos por volta das 7h. Nessa situação, ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Federal, a Operação Tarja Preta tem o objetivo de combater crimes considerados graves, como homicídios, tráfico de drogas e armas de fogo, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações começaram em maio de 2020, quando a polícia identificou os membros do grupo criminoso e as funções desempenhadas por eles. Também foi identificado que as ordens dos crimes eram emitidas de dentro de presídios.

As ordens de prisão e de busca foram emitidas pelo Juízo da Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa da Comarca de Salvador. A Justiça também determinou a apreensão e o sequestro de diversos bens móveis e imóveis pertencentes aos integrantes da facção, bem como o bloqueio de 40 contas bancárias por eles usadas.

A operação Tarja Preta conta com auxílio da Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Administração Penitenciária e Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público. Exército, DEPEN, BOPE/PM/MS e PM/GO também apoiaram a operação.

 

Fonte: Metro1