Home » Roger Waters descarta reunião do Pink Floyd: “Para quê?”

Roger Waters descarta reunião do Pink Floyd: “Para quê?”

por flavioismerim
roger-waters-descarta-reuniao-do-pink-floyd:-“para-que?”

O guitarrista e cantor Roger Waters, 80, descartou a ideia de reunir o Pink Floyd no palco novamente, dizendo que está “ocupado com outras coisas”. Atualmente, o músico trabalha com a produção de um novo álbum e redação de suas memórias.

Em entrevista à Reuters, o compositor britânico disse que amou seu tempo no grupo de rock que ajudou a fundar em 1965, mas que não tem planos de se apresentar novamente com seus dois antigos colegas de banda que seguem vivos, o baterista Nick Mason e o guitarrista David Gilmour.

Waters, a força criativa por trás de álbuns como “The Dark Side of the Moon” e “The Wall“, deixou o Pink Floyd em 1985 após diferenças pessoais e criativas.

Recentemente, ele se envolveu em uma disputa legal sobre o uso do nome do grupo, enquanto seus antigos colegas de banda continuavam sem ele. Waters e Gilmour têm estado em desacordo há anos em uma das rixas mais famosas do rock, entrando em conflito mais recentemente nas redes sociais sobre a guerra Rússia-Ucrânia.

Questionado se os três poderiam se apresentar juntos novamente, Waters disse: “Não, para quê?”. Ele reforçou ainda que a ideia de uma reunião é como uma necessidade nostálgica que vive em algumas pessoas, mas acrescentou “não em mim”.

O Pink Floyd se apresentou pela última vez no concerto beneficente Live 8 em Londres em 2005, quando Waters se juntou a Mason, de quem é amigo, Gilmour e o tecladista Richard Wright no palco.

“Fizemos isso. E não me arrependo porque Rick (Wright) ainda estava vivo, e estou muito feliz que tivemos a oportunidade de pelo menos fazer três ou quatro músicas”, disse Waters. “Tocamos razoavelmente bem e as pessoas gostaram. E por isso estou muito, muito feliz. Quero fazer algo assim de novo? Não, não quero, especialmente porque só restam três de nós vivos.”

Wright morreu em 2008. O vocalista original Syd Barrett, que deixou a banda em 1968, morreu em 2006.

Mason disse à Reuters em maio que estaria aberto a uma reunião, mas que não havia tal apetite de Waters e Gilmour.

“Estou ocupado com outras coisas, isso não tem nada a ver com rancor ou qualquer coisa. As pessoas são diferentes,” disse Waters. “David e eu somos pessoas muito, muito diferentes e está tudo bem.”

O cantor disse que atualmente está trabalhando em seu novo álbum, chamado “The Bar”, assim como em seu livro de memórias. “Tenho trabalhado nisso há alguns anos e estou em uma espécie de processo de edição agora. Então, sou um cara ocupado,” finalizou.

Pink Floyd une forças com cantor ucraniano ferido em nova música

você pode gostar

Deixe um comentário