Home » EUA discutem transferência de sistemas de defesa israelenses para a Ucrânia

EUA discutem transferência de sistemas de defesa israelenses para a Ucrânia

por salvadoroliveira
eua-discutem-transferencia-de-sistemas-de-defesa-israelenses-para-a-ucrania

A administração Biden está mantendo discussões com Israel e a Ucrânia sobre a possibilidade de transferir os antigos sistemas de defesa aérea Patriot, atualmente em Israel, para a Ucrânia, enquanto continua a se defender na guerra com a Rússia, de acordo com um alto funcionário da administração e uma fonte familiarizada com as discussões. A avaliação chega em um momento em que os EUA priorizam urgentemente as defesas aéreas para Kiev.Nenhum acordo final foi alcançado para transferir os sistemas cruciais – e os países ainda trabalham numa logística específica – mas o funcionário da administração disse estar esperançoso de que os esforços possam ter sucesso, especialmente dada a eficácia das baterias Patriot que já operam na Ucrânia.Os EUA e a Alemanha já enviaram sistemas Patriot para a Ucrânia, mas a administração Biden deixou claro que Kiev precisa de mais, à medida que a Rússia continua a lançar ataques aéreos ao país. Não está claro quanto tempo levaria o processo de finalização dos detalhes e transferência dos sistemas para a Ucrânia. Os sistemas provavelmente precisariam ser transferidos primeiro para os EUA, onde seriam submetidos a reformas, antes de serem enviados para a Ucrânia.Se for concluída, a transferência marcaria uma mudança significativa na posição de Israel em relação à guerra na Ucrânia. Israel tem tido o cuidado de não criticar abertamente a Rússia, enquanto o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu se manter em cima do muro em relação ao presidente Vladimir Putin. A Rússia alertou em 2022 que fornecer armas israelenses à Ucrânia “destruiria todas as relações interestaduais entre os nossos países”.Embora Israel tenha participado no grupo multinacional liderado pelos EUA para enviar suprimentos para a Ucrânia, o governo israelense tem relutado em fornecer abertamente armas a Kiev. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, implorou por interceptadores de mísseis Iron Dome meses após o início da invasão russa. Mas Israel disse que apenas ajudaria a Ucrânia a desenvolver um sistema de defesa aérea em vez de enviar armas, uma oferta que o embaixador da Ucrânia em Israel disse ser “tarde demais”.O Financial Times relatou pela primeira vez as notícias das discussões em andamento.Em abril, as Forças de Defesa de Israel disseram que em breve aposentariam seus sistemas Patriot, que foram totalmente integrados às forças armadas pela primeira vez em 1991. A primeira interceptação Patriot israelense ocorreu durante a guerra de 2014 entre Israel e o Hamas, quando o sistema abateu um drone lançado de Gaza.Mas os mísseis Patriot não são o principal sistema de defesa aérea de Israel. Até o momento, as Forças de Defesa de Israel disseram que as baterias Patriot israelenses realizaram 19 interceptações, incluindo nove durante a guerra atual. Israel depende muito mais do seu sistema de defesa aérea Iron Dome de curto alcance, bem como dos seus mísseis David’s Sling de médio alcance e Arrow de longo alcance.Na semana passada, a administração Biden anunciou que estava a dar prioridade às capacidades críticas de defesa aérea da Ucrânia em detrimento de outros países, para “garantir a sobrevivência da Ucrânia”, no que foi descrito como um ajuste político “bastante extraordinário” num momento crítico para a Ucrânia.“Trabalhamos com todos os nossos parceiros para levar em conta quais são as necessidades de defesa [da Ucrânia] e faremos tudo o que pudermos para apoiá-las”, disse o secretário de imprensa do Pentágono, major-general Pat Ryder, em uma coletiva de imprensa na última semana. “A mensagem final aqui para nossos aliados e parceiros é: se houver uma ameaça existencial, você sabe, vamos intensificar e vamos ajudá-los”.Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.versão original

você pode gostar